segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Concurso da Defensoria Pública do RJ deverá ter cotas de 20% para negros.







Em seu próximo concurso, a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro oferecerá 20% de suas vagas para negros - e, além disso, as vagas para estágios também terão cotas de 20% para negros. Foi o que informou , durante audiência pública no Senado, o defensor público geral do Rio de Janeiro, Nilson Bruno Filho. Ele reforçou que a defensoria de seu estado é a maior do país.


- Entre os 800 defensores que há em meu estado, não há mais que 12 negros - ressaltou.


Ao defender o sistema de cotas, Nilson Filho - que também é negro - disse que essa medida "não é uma facilitação, mas uma forma de oferecer acesso".


- Consegui chegar até aqui sem cotas, mas Deus sabe como tive de trabalhar para isso. Meus irmãos não conseguiram. A falta de oportunidades é impiedosa - declarou.


Outro assunto que está sendo debatido na mesma audiência são as cotas para pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A procuradora do Trabalho Andrea Nice Silveira Lopes argumentou que esse tipo de cota não é viável se não houver investimentos em educação e capacitação. Ela afirmou que muitas vagas reservadas a deficientes - tanto no setor público como no setor privado - não são preenchidas devido à falta de pessoal qualificado.


A audiência pública está sendo realizada pela Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e da Previdência Social, que integra a Comissão de Assuntos Sociais (CAS).


Acontece na sala 9 da Ala Alexandre Costa.





Da Redação / Agência Senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Palavrões não são permitidos!!!